Direct Mail – O que é e porque o utilizar

O Marketing Directo (do inglês Direct Mail) é um sistema de marketing interactivo que utiliza um ou mais meios publicitários para comunicar com os consumidores de forma directa e personalizada. É um meio publicitário selectivo e de elevada eficácia.  É umas das emergentes ferramentas de marketing da nova economia, permite contactos directos entre a empresa e um cliente (ou um grupo de clientes com necessidades idênticas), e permite uma relação personalizada entre empresas e clientes de modo a ser possível à empresa conhecer quais os bens e serviços adequados ás necessidades dos seus clientes. Com o Marketing Directo, o ROI (Retorno do Investimento) pode atingir os 40% e os níveis de envolvimento do cliente estão actualmente a atingir mais de 10 minutos.

Saiba mais em www.mvide.com/direct_mail

A Gráfica MVide apresenta-lhe 7 razões para utilizar o Marketing Directo:

1.º O momento do correio

O Direct Mail entra em casa de um indivíduo ou no escritório de uma empresa e é consumido em regime individual. Isto dá-lhe muito mais tempo para passar com o seu cliente, tempo este precioso para sensibilizá-lo, persuadi-lo, convencê-lo e envolvê-lo num ambiente descontraído e quando este bem o entender.

2.º Direccionar com precisão

O Marketing Directo funciona melhor quando se cria relevância para o receptor, através de conteúdos criados à medida e que interessam directamente ao cliente. Isto fortalece a relação entre a marca e o cliente, sobretudo agora que as novas tecnologias de impressão digital tornaram a personalização ainda mais fácil. O correio não-endereçado pode ser um método valioso de recolha de dados.

3.º Experiência da marca

Visto que a sua mensagem não está presa à prateleira da banca de jornais ou ao ecrã do televisor, pode estimular e entreter os seus clientes oferecendo-lhes inovações que os incitem a reavaliar a sua marca e que provoquem uma reacção. Experimente diferentes tamanhos, qualidades de papel ou autocolantes. Pode até, apelar aos sentidos de tacto e olfacto do cliente para causar um verdadeiro impacto. Para alargar a experiência da marca, experimente fazer acompanhar a sua correspondência de um código de barras em 2D. tecnologia de realidade aumentada e PURLS.

4.º Leve as pessoas a agir

O Marketing Directo é o meio de comunicação com maior probabilidade de obter uma reacção de um cliente, e permite avaliar cada reacção com precisão. O meio oferece incentivos que pretendem levar as pessoas a agir – o resultado ideal de qualquer comunicação com o cliente. E, visto que a sua comunicação em Marketing Directo é um objectivo tangível, a probabilidade de permanecer com o cliente é maior, proporcionando um lembrete constante da existência da sua marca e produtos, e servindo como propulsor para outras plataformas de media tais como as brochuras ou a Internet.

 

5.º Eficácia e Mensurabilidade

O Marketing Directo pode desempenhar uma série de papéis diferentes, dependendo das suas necessidades de marketing. Se pretende aumentar a sua base de clientes, é ideal para angariar novos clientes. O Marketing Directo continua a ser o único canal de marketing que pode fazê-lo legalmente na UE, visto haver a possibilidade de o cliente pedir para ser retirado da lista de contactos. Utilizado como parte do seu programa de CRM, o correio directo pode envolver os seus clientes em intervalos regulares. O valor destes clientes também pode ser aumentado através do cross-selling e upselling, utilizando o valor da marca para impulsionar a venda de produtos alternativos ou novos.

 

6.º Seja criativo

Se enviar uma encomenda de correio que contenha uma ferramenta útil ou apelativa com o nome da sua marca, esta vai permanecer lá em casa durante muito mais tempo e gerar vários contactos – tudo pelo custo de uma única correspondência. O DM permite todo o tipo de elementos criativos – o que quer que caiba dentro de um envelope ou numa caixa!

7.º ROI fantástico

Não há duvida de que o correio directo é uma opção com uma boa relação custo-benefício. Pode chegar até milhares e pessoas por um valor relativamente baixo. Experimente e verá rapidamente o retorno do seu investimento.

 

Advertisements

Save a Forest: Print Your Emails

gmvide

Well-intentioned email taglines inspired by sincere desire to help the planet have become ubiquitous in recent
times: “Please don’t print this email,” “Save trees: Print only when necessary,” or “Please consider the
environment before printing this email.”
However, the World Wildlife Fund has taken this to the extreme with a new nonprintable electronic document.
Patterned after the highly successful PDF (Portable Document Format) that has revolutionized electronic
document sharing and storage, the WWF format takes the decision away from you.
This tact is sure to frustrate and increase inefficiency, leaving some saying, “Wait a minute, I really needed to
print that document!”What many folks don’t realize is that it also may indirectly hasten the conversion of forests
to other uses like strip malls, parking lots and housing developments—because the nation’s forest landowners
can’t keep growing trees without markets for this natural, organic and renewable product.
Chuck’s email tagline reads: “Notice:…

View original post 227 more words

OPORTUNIDADE DE EMPREGO

Pretendemos:

– 12º Ano de Escolaridade
– Boa Apresentação
– Bom relacionamento interpessoal
– Facilidade de Comunicação
– Espírito de Equipa
– Resiliência
– Capacidade para trabalhar por objetivos

Oferecemos:

– Salário base (negociável)
– Subsídio Férias, Natal e Alimentação
– Comissões (negociável)
– Viatura (negociável)
– Formação Inicial e contínua
– Possibilidade de ascensão na carreira
– Bom ambiente de trabalho

PS: envio de curriculum vitae para geral@mvide.com

Save a Forest: Print Your Emails

Well-intentioned email taglines inspired by sincere desire to help the planet have become ubiquitous in recent
times: “Please don’t print this email,” “Save trees: Print only when necessary,” or “Please consider the
environment before printing this email.”
However, the World Wildlife Fund has taken this to the extreme with a new nonprintable electronic document.
Patterned after the highly successful PDF (Portable Document Format) that has revolutionized electronic
document sharing and storage, the WWF format takes the decision away from you.
This tact is sure to frustrate and increase inefficiency, leaving some saying, “Wait a minute, I really needed to
print that document!”What many folks don’t realize is that it also may indirectly hasten the conversion of forests
to other uses like strip malls, parking lots and housing developments—because the nation’s forest landowners
can’t keep growing trees without markets for this natural, organic and renewable product.
Chuck’s email tagline reads: “Notice: It’s OK to print this email.
Paper is a biodegradable, renewable, sustainable product made
from trees. Growing and harvesting trees provides jobs for
millions of Americans. Working forests are good for the
environment and provide clean air and water, wildlife habitat
and carbon storage. Thanks to improved forest management, we
have more trees in America today than we had 100 years ago.”
Now, understand that we don’t advocate wanton waste of paper
or any other material, but avoiding the print option does
absolutely nothing to save the planet or forests. More forests are
dying of insect infestation and disease or being paved over across
this country right now than could be converted to an email print-out in a thousand years.
Paper is good. Around 105 A.D., man discovered that paper traveled and transcribed better than stone; it became
the renewable medium of choice. Frankly, the human eye can only stare at a computer screen for so long.
We appreciate and applaud people who are sensitive to environmental issues. We both love forests and are avid
environmentalists. But we are going to continue to print out those necessary emails without guilt.
Honest, it’s okay to print. Trees are renewable, recyclable and sustainable.
Mr. Leavell is a musician, tree farmer, environmentalist and author. Mr. Owen is a forester, wildlife biologist
and CEO of U.S. Endowment for Forestry and Communities.